Dica de Redação

COISA e ALGO | O uso de termos vagos na redação

Ena Lélis
Escrito por Ena Lélis em 30 de abril de 2020
COISA e ALGO | O uso de termos vagos na redação
Aprenda a escrever uma Redação Nota Dez

Receba nosso conteúdo em seu e-mail:

Quase toda semana, alertamos, nas correções, sobre a necessidade de se evitar termos vagos como “coisa” e “algo”. Qual o significado dessas palavras? Ora, todos sabem que “coisa” quer dizer qualquer coisa. O mesmo vale para “algo”. São termos que marcam, sobretudo, a indefinição.

Agora passemos para o ponto-chave do texto dissertativo-argumentativo. Nele, você deve argumentar, convencer, posicionar-se seguramente, a fim de convencer o seu leitor.

Então, como convencer o seu leitor, como posicionar-se seguramente utilizando-se de termos vagos?

Repare esses exemplos:

***

Será que os termos “coisa” e “algo” aí colocados não poderiam ser especificados, para maior clareza textual? Abaixo, apontamos maneiras de retificação desses trechos.

1. “A luta pela liberdade é uma batalha antiga.”

2. “… sem essa vontade não há evolução.” ou “… sem essa vontade não se progride.” etc.

Precisamos, no entanto, informar que esse uso é aceito em casos como:

O autor do texto utilizou o termo “coisa” e logo em seguida explicitou o que era essa “coisa certa”: o problema é real e precisa ser combatido. Aí tudo bem!

Lembre-se de frases indefinidas como “Tá tudo coisado“, “Já chegou coisando tudo”, “Espera, vou coisar aqui e depois eu vou”. O que quer dizer mesmo? Qualquer coisa!

Um abraço e até a próxima!

Olá!

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *