Tema de Redação

ATUALIDADES | Como o mundo moderno deve se preparar para as pandemias?

Ena Lélis
Escrito por Ena Lélis em 28 de janeiro de 2020
ATUALIDADES | Como o mundo moderno deve se preparar para as pandemias?
Aprenda a escrever uma Redação Nota Dez

Receba nosso conteúdo em seu e-mail:

A partir da leitura e reflexão sobre os textos de apoio abaixo, escreva um texto dissertativo-argumentativo no qual você discorra sobre o seguinte tema: Como o mundo moderno deve se preparar para as pandemias? Caso julgue necessário, busque leituras adicionais.

Não deixe de fazer o seu brainstorm -> esqueleto -> rascunho.

TEXTOS DE APOIO

Texto 1

“As pandemias fazem parte do nosso futuro. Talvez sejam como a gripe de Hong Kong, em 1968, que matou um milhão de pessoas, ou a versão espanhola de 1918, que dizimou mais de 40 milhões. A medicina moderna as torna menos prováveis e menos letais, é verdade, mas, por outro lado, o comércio e as viagens globais, a densidade populacional crescente, a diminuição dos habitats de vida selvagem e a criação confinada de animais em volumes imensos para satisfazer uma população cada vez maior e mais rica as tornam certamente muito possíveis. Os especialistas são unânimes em dizer que não é uma questão de “se”, mas sim de “quando”.”

(…)

“E, quando a próxima se der, ter informações corretas será tão importante quanto um tratamento eficaz. Vimos isso em 2014, quando o governo nigeriano conseguiu conter e reduzir uma epidemia de ebola de proporções subcontinentais a apenas vinte infectados e oito mortes. Parte desse sucesso se deu por causa da forma pela qual as autoridades se comunicaram com a população, usando vídeos feitos com verbas públicas, campanhas nas redes sociais e especialistas internacionais. Sem isso, o número de vítimas em Lagos, uma cidade de 21 milhões de habitantes, provavelmente teria sido muito maior que os onze mil registrados no resto do continente.

Há muitas razões para esperar uma avalanche de desinformação e boatos durante uma pandemia. Nas primeiras horas e dias, os dados serão poucos e os boatos, fartos. Afinal, a grande maioria não é de profissionais da saúde nem de cientistas, ou seja, não podemos distinguir o que é fato do que é ficção. Pior que isso, ficaremos apavorados. O cérebro humano opera de um jeito diferente quando estamos com medo, agarrando-se a qualquer coisa que faça com que nos sintamos mais seguros, mesmo que não seja verdade.” [Leia o texto completo]

Fonte: Temos de nos preparar para a próxima pandemia / Gazeta do Povo

Texto 2

“Está mais do que na hora de trabalhar em ações urgentes e continuadas. Isso deve incluir aumento do financiamento em níveis locais, nacionais e internacionais para evitar a propagação de surtos. Também exige que os líderes tomem medidas proativas para fortalecer os mecanismos de coordenação e de preparação entre os governos e a sociedade para responder rapidamente a uma emergência.”, afirma Gro Harlem Brundtland, co-presidente do Conselho de Monitoramento da Preparação Global – GPMB.

Segundo o documento [o relatório A World At Risk (Um mundo em risco)], se o mundo enfrentasse um surto como a pandemia de Influenza de 1918, o vírus poderia se espalhar globalmente em 36 horas e o número de vítimas fatais poderia chegar a 80 milhões de pessoas. Conhecida como Gripe Espanhola, estima-se que a pandemia de 1918 infectou 500 milhões de pessoas, um terço da população mundial na época, com 50 milhões de mortes, o equivalente a cerca de 3% da população.

O relatório alerta que uma pandemia nessas proporções na atualidade pode destruir 5% da economia global, além de colapsar muitos sistemas nacionais de saúde, atingindo as comunidades mais pobres. De acordo com o levantamento, entre 2011 e 2018 a OMS acompanhou 1.483 eventos epidêmicos em 172 países, de doenças como Ebola, Zika, SARS e febre amarela. No Brasil, foram detectadas no período epidemias de febre amarela, malária e Zika.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que os surtos mais graves de doenças como Ebola, cólera e sarampo geralmente ocorrem nos locais que possuem os sistemas de saúde mais fracos.

“Como líderes de nações, comunidades e agências internacionais, devemos assumir a responsabilidade pela preparação de emergências e prestar atenção às lições que esses surtos estão nos ensinando. Temos que tomar medidas preventivas antes que eles aconteçam.” [Leia o texto completo]

Fonte: Especialistas alertam para o risco de pandemias globais / Istoé Dinheiro (texto adaptado)

Texto 3

A OMS (Organização Mundial da Saúde) define uma pandemia como “espalhamento mundial de uma nova doença”. O termo também é restrito a doenças contagiosas, não sendo aplicável, por exemplo, a uma condição como o câncer.

(…)

Um estudo da OMS divulgado em 2019 relaciona surtos ocorridos durante crises humanitárias, crescimento populacional, maior urbanização, economia globalizada, popularização e maior rapidez das viagens, migração e mudanças climáticas como fatores que têm contribuído para uma maior vulnerabilidade mundial para surtos de doenças infecciosas. [Leia o texto completo]

Fonte: Por que o coronavírus desperta o temor de uma pandemia / Nexo Jornal

Texto 4

Sugerimos a leitura integral do seguinte texto: “O que se sabe sobre a epidemia do novo coronavírus”. | Fonte: Aos Fatos

Texto 5

Fonte: Surto, Epidemia, Pandemia e Endemia – Canal do Prof. Paulo Jubilut

Boa produção!

Um abraço,
Equipe Redação Nota Dez

Olá!

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Replies to “ATUALIDADES | Como o mundo moderno deve se preparar para as pandemias?”

Gisele Felinto

Excelente conteúdo!!!

Ena Lélis

Que bom que gostou, Gisele!
Retorne sempre ao nosso blog.
Constantemente postamos temas e dicas.
Forte abraço!